O conhecimento é um tesouro, mas a prática é a chave para alcança-lo. (Thomas Fuller)

terça-feira, 8 de outubro de 2013

UFRN promove desenvolvimento do turismo ecológico e da economia na região do Seridó

Por Juliana Holanda
 
Açude Totoró, em Currais Novos, é um dos pontos turísticos da região do Seridó potiguar
Os pontos turísticos do Seridó potiguar estão sendo mapeados para identificar os principais atrativos da região e promover o turismo ecológico por meio de trilhas na natureza.

Idealizada pelo curso de Turismo do Centro de Ensino Superior do Seridó (CERES) de Currais Novos da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), a atividade busca divulgar e preservar a natureza do sertão nordestino e desenvolver a economia local.

“As pessoas que se propõem a fazer trilhas ecológicas normalmente têm uma conscientização ambiental maior. Pretendemos contribuir para a preservação do Seridó, mostrando a importância cultural e a beleza desse ecossistema”, destaca a coordenadora do projeto, a professora Clébia Bezerra da Silva.

Currais Novos, Acari, Carnaúba dos Dantas e Cerro Corá foram os municípios escolhidos inicialmente para participar do programa. Lagoas, pinturas rupestres, formações rochosas, áreas naturais, vegetação e clima característicos fazem parte das atrações dessas cidades.

Para sugerir e organizar as trilhas, foi feito um levantamento, por meio de pesquisa bibliográfica, sobre a região e excursões a pontos turísticos com guias locais. Itens como duração do percurso, proximidade e acessibilidade foram analisados pelos turismólogos.

Ednaja Faustino da Silva, aluna do 8º período de Turismo em Currais Novos, participa do projeto desde o início de 2013 e ficou responsável pela organização da trilha de Cerro Corá. “Além de ser uma paisagem muito bonita, tem todo o ecossistema da caatinga e do Seridó, mas com aspectos diferenciados por ser uma região serrana”, explica.

Professora Clébia Bezerra da Silva
A estudante destaca o aprendizado nos âmbitos acadêmico e social. “A gente aprende como trabalhar com a comunidade local e a importância da inserção das pessoas no projeto para que ele realmente funcione”, conta. Ednaja destaca ainda a integração das cidades. “O turista virá conhecer o Seridó e não apenas um município, dando visibilidade aos atrativos diferentes que eles têm”, analisa.
Há dois anos estudando o potencial do Seridó, a equipe pretende lançar em dezembro deste ano um site para divulgar as trilhas ecológicas e a infraestrutura turística dos lugares, como pousadas e contatos de guias locais.

“Nosso objetivo é ajudar a organizar o turismo no Seridó para que as trilhas possam ser comercializadas pela própria comunidade, virando uma fonte de renda para a população”, explica a coordenadora.

Para despertar o interesse de visitantes e facilitar a escolha das trilhas, a página também vai contar com fotos das atrações e mapas produzidos pelos pesquisadores da UFRN, bem como informações sobre a geografia e a história dos municípios.

“Queremos atrair pessoas do próprio estado e turistas que vêm conhecer as belezas naturais do Rio Grande do Norte. O maior foco de visitações é o litoral, mas o interior tem um grande potencial que pode ser desenvolvido”, avalia Clébia Silva.

Empreendedorismo

A equipe da UFRN vai capacitar a população local por meio de cursos de empreendedorismo. Com duração de 20 horas, a primeira turma será formada este mês na cidade de Acari. “A ideia é habilitar a população para que ela possa gerenciar as atividades, gerando renda e ao mesmo tempo cuidando da natureza”, afirma a coordenadora da iniciativa.

Há sete anos trabalhando como guia turístico em Cerro Corá, Ronivon Pereira de Araújo aprova as ações da UFRN. Ele espera que a divulgação não só aumente o número de turistas na região, como também daqueles que procuram maior contato com a natureza. “Esperamos receber mais pessoas interessadas em ecotrilhas. As paisagens daqui são convidativas para esse tipo de atividade, mas a procura ainda é baixa”, diz.
Currais Novos, Acari, Carnaúba dos Dantas e Cerro Corá foram os municípios escolhidos inicialmente para participar do programa. Lagoas, pinturas rupestres, formações rochosas, áreas naturais, vegetação e clima característicos fazem parte das atrações dessas cidades